Mulher-bomba mata 19 em meio a peregrinação xiita no Iraque

BAGDÁ (Reuters) - Uma mulher-bomba detonou um colete de explosivos em meio a um grupo de peregrinos xiitas, perto da cidade de Iskandariya (sul de Bagdá), na quinta-feira, matando 19 pessoas e deixando outras 75 feridas, disse a polícia. Milhares de peregrinos começaram a viajar a pé rumo à cidade sagrada de Kerbala, ao sul da capital iraquiana, a fim de celebrar o aniversário do 12o imã, uma figura semelhante ao Messias reverenciada pelos muçulmanos xiitas.

Reuters |

Autoridades iraquianas afirmaram ter elaborado um plano de segurança para a peregrinação, cujo ápice ocorre no domingo.

Em um outro incidente, uma bomba plantada ao lado de uma rua matou um peregrino e feriu outros sete quando caminhavam pelo bairro de Karrada (região central de Bagdá), para unir-se à peregrinação.

No mês passado, durante uma outra peregrinação realizada na capital do país, três mulheres-bomba mataram quase 30 pessoas e deixaram outras cerca de cem feridas quando detonaram seus explosivos em meio a diferentes grupos de pessoas.

Autoridades norte-americanas e iraquianas disseram que os militantes sunitas passaram a recorrer com uma frequência cada vez maior a mulheres para realizar atentados suicidas já que essas conseguem escapar mais facilmente dos esquemas de segurança.

As peregrinações, das quais costumam participar centenas de milhares de fiéis e que ocorrem várias vezes ao ano no Iraque, tornaram-se um momento tradicional de demonstração de força pela maioria xiita do país depois da deposição de Saddam Hussein, um sunita que limitou as celebrações religiosas dos xiitas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG