Assunção, 17 dez (EFE).- Uma das mulheres que em abril assegurou ter tido um filho do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, retirou hoje a denúncia contra o líder, informaram fontes judiciais.

Trata-se de Benigna Leguizamón, que exigiu judicialmente que o chefe de Estado fosse submetido a um teste de DNA para definir se é o pai do segundo de seus quatro filhos, Lucas Fernando, de seis anos.

A imprensa paraguaia, que cita fontes judiciais de Ciudad del Este, onde a denúncia está sendo tramitada, detalharam que Leguizamón se apresentou aos tribunais para desistir do processo, mas o advogado de Lugo, Marcos Harina, disse à Agência Efe que não tinha certeza disso.

A mulher, de 27 anos, comentou que conheceu Lugo quando tinha 17 anos de idade e pediu ajuda em Choré, em São Pedro (centro), onde na época o presidente era bispo.

Harina reiterou que o governante "em nenhum momento" se negou a submeter-se ao teste de DNA exigido pela mulher e que esse trâmite não tinha se concretizado, porque o caso se encontra em mãos de um tribunal de apelações. EFE rg/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.