CIDADE DO VATICANO - A mulher que derrubou o papa Bento 16 durante a Missa do Galo, rezada na Basílica de São Pedro na noite de quinta-feira, garantiu que não queria fazer mal ao pontífice.

"Não queria causar danos ao Santo Padre", afirmou Susanna Maiolo, de 25 anos, aos médicos que a atenderam na ala psiquiátrica do Hospital Santo Spirito, em Roma, perto do Vaticano, destacou neste sábado a imprensa italiana.

Segundo informações, os médicos que trataram a moça asseguraram que ela é uma pessoa com transtornos "psíquicos" e "pensamentos instáveis". Foram estes problemas que a levaram a se aproximar do papa na Missa do Galo deste ano e também na de 2008 .

Após um primeiro atendimento no Hospital Santo Spirito, a mulher, que tem nacionalidade suíça e italiana, foi transferida para um centro especializado em psiquiatria nos arredores de Roma.

Assim como no ano passado, Maiolo veio da Suíça, onde vive, até Roma só para assistir à Missa do Galo.

Agressão e queda

Na véspera do Natal, a ítalo-suíça Susanna Maiolo, aparentemente com problemas psíquicos, superou a barreira de segurança e derrubou o papa quando este avançava pela Basílica de São Pedro ao lado de 30 cardeais.

Mas Bento 16, de 82 anos, se levantou rapidamente e celebrou a Missa do Galo, a quinta de seu pontificado, que pela primeira vez começou às 22H00, e não meia-noite, para evitar o cansaço do papa.

No incidente, o cardeal francês Roger Etchegaray, de 87 anos, também caiu e fraturou o fêmur.

Leia mais sobre papa Bento 16

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.