Washington, 26 fev (EFE).- O ator Morgan Freeman, de 71 anos, foi processado pela mulher com a qual viajava quando sofreu um grave acidente de automóvel, em agosto do ano passado, informa hoje a imprensa.

Na ação, apresentada no Mississipi, Demaris Meyes, de 48 anos, argumenta que o acidente mudou sua vida e que continua com sequelas físicas e psicológicas pelo ocorrido.

Em declarações à imprensa, a litigante nega também ter mantido um relacionamento amoroso com o ator, hipótese que ganhou força quando Freeman anunciou seu divórcio de Myrna Colley-Lee, com a qual foi casado por 24 anos, apenas quatro dias depois do acidente.

No entanto, Freeman disse que Meyes era uma "amiga" a quem se ofereceu para levar em casa no dia do acidente.

O acidente ocorreu no condado de Tallahatchie, no estado do Mississipi, em direção à casa de Freeman em Charleston.

O veículo que o ator dirigia capotou diversas vezes. Naquele momento, especulou-se que o ator poderia ter dormido no volante.

Na ação, a mulher afirma que Freeman tinha bebido antes de dirigir.

O ator ficou gravemente ferido, foi operado de várias fraturas e teve que religar os nervos e os tecidos de um braço e de uma mão que ficaram machucados no acidente. EFE pgp/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.