Mulher fica ferida por granada em Bangcoc, após 1º dia de negociações

Bangcoc, 29 mar (EFE).- Uma mulher ficou ferida em Bangcoc em um novo ataque com granada, o quinto em 48 horas, depois que o Governo tailandês e as líderes dos manifestantes se sentaram para negociar uma solução para a crise política, informa hoje a imprensa local.

EFE |

A explosão da bomba, jogada por desconhecidos, aconteceu ontem à noite perto da residência do ex-primeiro-ministro Banharn Silapa-archa, inabilitado pela Corte Suprema para ocupar uma cadeira no Parlamento ou um cargo no Executivo por ter cometido fraude eleitoral nas últimas eleições.

Silapa-archa é agora assessor do Partido Chart Thai Pattana (Nacional para o Desenvolvimento), uma das legendas que apoiaram o ex-primeiro-ministro deposto Thaksin Shinawatra e que mudaram de lado para respaldar o Governo de Abhisit Vejjajiva, atual chefe do Executivo e líder do Partido Democrata.

Fontes policiais indicaram que em seguida ao ataque contra a casa de Silapa-archa, explodiu outra granada em frente a uma filial bancária do Bangcoc Bank, relacionado pelos manifestantes da Frente Unida para a Democracia e contra a Ditadura com o levante militar que em 2006 depôs Shinawatra e afundou o país em uma persistente crise política.

Vejjajiva e os líderes dos milhares de manifestantes que exigem a dissolução do Parlamento concluíram neste domingo sem acordo a primeira rodada de negociações para acabar com a crise.

A reunião, transmitida ao vivo pela televisão, aconteceu após duas semanas de protestos em Bangcoc.

O chefe do Governo e os representantes dos "camisas vermelhas", como são chamados os seguidores de Shinawatra, acertaram continuar as negociações nesta segunda-feira. EFE mfr/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG