Mulher é retirada viva de escombros em Sumatra

Uma mulher foi retirada viva dos escombros de uma escola em Padang, no Sumatra, nesta sexta-feira, dois dias depois de a região ter sido atingida por um terremoto de 7,6 graus na escala Richter.

BBC Brasil |

As equipes de resgate, no entanto, afirmam que as esperanças de se encontrar mais sobreviventes são cada vez menores. Acredita-se que muitas pessoas ainda estejam presas sob os escombros.

O número de mortos por causa do tremor já passou de 1.100, segundo a ONU, e a expectativa é de que aumente nos próximos dias.

Nesta sexta-feira, a ministra da Saúde indonésia, Siti Fadilah Supari, apelou à comunidade internacional para ajudar nos esforços de resgate.


Familiares buscam informações sobre vítimas em tendas montadas pelo governo / Reuters

O epicentro do terremoto foi no fundo do mar, a noroeste da cidade de Padang, capital da província de Sumatra Ocidental, onde vários edifícios foram destruídos.

Durante a noite, equipes de resgate usaram iluminação especial e escavadeiras nas buscas por estudantes presos embaixo de uma escola de três andares, que caiu durante o terremoto.

Segundo o jornal Jakarta Post, havia 60 crianças na escola quando o prédio caiu.

A polícia informou que nove crianças foram encontradas com vida, mas que outros oito corpos foram puxados de sob os escombros.

Parte do principal hospital de Padang também ruiu, e um necrotério foi improvisado ao ar livre para receber os corpos das vítimas.

Nos arredores, várias operações cirúrgicas eram realizadas me barracas. Já fizemos centenas de operações desde o terremoto, disse o médico Nofli Ichlas.

Alguns com ossos quebrados, outros com membros totalmente amputados. Crânios fraturados e traumas abdominais também.

O presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono viajou para a região ao chegar do encontro do G20 na quinta-feira, e passou a noite ajudando a organizar os esforços de resgate.

Difícil acesso

O principal aeroporto de Sumatra foi reaberto e suprimentos de ajuda e equipes de resgate já estão chegando à região.

Yenni Suriyani, de um serviço de ajuda católico, disse à BBC que sua organização já tem uma equipe na área e que espera enviar mais especialistas em resgate para a região no fim de semana.

Eles viram muita gente presa sob os escombros, e muitos escombros de edifícios que caíram, como escolas e prédios de escritórios, disse ela.

Não podemos chegar a todas as regiões porque em algumas áreas o acesso ainda é difícil.

O ministro do Exterior australiano, Stephen Smith, disse que até 100 australianos permanecem desaparecidos depois do tremor, mas que não há provas de que eles estejam mortos ou feridos.

Padang é um destino popular entre surfistas.

A Austrália está enviando ajuda e uma equipe de resgate, além de 10 especialistas em engenharia. Outros países ¿ entre eles a Coreia do Sul, o Reino Unido e o Japão ¿ também enviaram ajuda.


Região do terremoto / Reprodução Google Maps

O presidente americano Barack Obama, que passou parte de sua infância na Indonésia, também prometeu ajuda.

O principal tremor atingiu a região às 17h16, de quarta-feira, hora local, a 85 quilômetros de profundidade, no solo do mar, disse a US Geological Survey.

Um segundo tremor de 6,8 na escala Richter atingiu a região às 08h52 (hora local) na quinta-feira, mas não houve notícia de vítimas ou danos.

A ilha de Sumatra fica perto da falha geológica que provocou o tsunami que matou mais de 230 mil pessoas em 2004 em 12 países da Ásia.

Há muito tempo geólogos vêm alertando que Padang ¿ uma cidade de 900 mil pessoas ¿ poderia ser totalmente destruída por um terremoto por causa de sua localização.

Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: terremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG