Mulher diz ter beijado capitão do Costa Concordia antes do naufrágio

Em entrevista a jornal britânico, moldávia disse que a relação com Schettino teria ido além se não houvesse o naufrágio

Agência Ansa |

Reprodução/Il Secolo XIX
Foto mostra Dominika Cermortan durante jantar no Costa Concordia
A moldávia Dominika Cermortan afirmou neste domingo que beijou o capitão do navio Costa Concórdia, Francesco Schettino, no dia do naufrágio da embarcação .

Assista: Vídeo amador pode ajudar investigação do naufrágio

Em entrevista ao jornal britânico Daily Mail, ela contou que o beijo aconteceu momentos antes do navio afundar e que a relação com Schettino teria ido além se não houvesse o naufrágio. "Mas não fizemos sexo", afirmou.

O Costa Concórdia naufragou após encalhar em um banco de areia próximo à Ilha de Giglio, na Itália, no último dia 13 de janeiro. O navio levava mais de quatro mil passageiros.

Naufrágio na Itália: Saiba o que aconteceu com o Costa Concordia

Schettino está sendo investigado por ter abandonado a embarcação antes dos procedimentos de resgate, além de possivelmente ter cometido erros durante a navegação.

Naufrágio

O navio, que levava 4.229 a bordo, bateu em uma rocha e tombou no dia 13 de janeiro perto da ilha de Giglio, na região da Toscana.

O capitão do Costa Concordia, Francesco Schettino , foi detido um dia depois do acidente.

Ele é acusado de homicídio culposo múltiplo (sem intenção de matar), naufrágio e abandono do navio, crimes pelos quais pode ser condenado a até 15 anos de prisão. O capitão nega as acusações.

O responsável pela Defesa Civil italiana, Franco Gabrielli, estimou no início de fevereiro que serão necessários de sete a dez meses para retirar o Costa Concordia do local onde naufragou.

Gabrielli explicou que levará dois meses para avaliar o que fazer com o cruzeiro, se será possível desmanchá-lo em frente à ilha de Giglio ou rebocá-lo inteiro para local mais seguro. Depois dessa análise, trabalha-se com a estimativa de sete a dez meses para a operação de retirada.

No momento são realizadas operações para remover os 500 mil galões de combustível do navio. A empresa especialista Smit, da Holanda, está subervisionando a operação, junto a outro parceiro italiano.

Veja abaixo imagens do naufrágio do Costa Concordia :

    Leia tudo sobre: costa concordianaufrágioDominika Cermortan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG