Mulher de suposto autor de ataque contra CIA se diz orgulhosa do marido

A mulher do jordaniano que matou sete agentes da CIA no Afeganistão em um atentado suicida, declarou nesta quinta-feira que se sente orgulhosa de seu marido, numa entrevista em Istambul.

AFP |

"Estou orgulhosa de meu marido. Ele fez uma grande operação nesta guerra. Rogo a Deus para que o aceite como um mártir", disse Defne Bayrak, que vestia um tradicional chador.

O jordaniano Human Khalil Abu Mulal al Balawi, considerado agente duplo, detonou explosivos que trazia junto ao corpo no dia 30 de dezembro em uma base da CIA em Jost, no ataque mais sangrento contra os serviços de inteligência americanos desde 1983.

Defne Bayrak, que é turca, será "convidada" à célula antiterrorista da polícia para prestar depoimento, segundo a agência, que cita fontes policiais, sem informar quando.

Na quarta-feira, ela havia declarado ser impossível que seu marido fosse culpado pelo atentado, em entrevista à AFP e à imprensa turca.

"Meu marido não pode ser um agente da CIA ou da Jordânia, porque era um homem ranquilo. Não acredito que meu marido pudesse fazê-lo", indicou à rede turca NTV.

Defne Bayrak, que escreve para a imprensa islâmica turca, havia dito à AFP que seu marido, com quem se casou há nove anos, não viajou em março ao Afeganistão, e sim ao Paquistão, para concluir seus estudos em medicina.

Bayrak é autora do livro "Osama Bin Laden, o Che Guevara do Oriente".

BA/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG