Mulher de Shinawatra depõe em caso de corrupção na Tailândia

Bangcoc - A mulher do ex-primeiro-ministro tailandês Thaksin Shinawatra, Pojaman, depôs hoje em um Tribunal de Bangcoc em um caso de evasão de 730 milhões de baht (US$ 11,8 milhões) em impostos pela transferência de ações da empresa Shinawatra Computer em 1997.

EFE |

A audiência aconteceu a portas fechadas, e Pojaman escapou dos jornalistas que esperavam por sua chegada usando a entrada de serviço do Tribunal, por volta das 9h (32h de quinta-feira em Brasília).

Seu meio-irmão Bannapot Damapong e seu secretário Kanchanapa Honghern também são acusados neste processo.

A Procuradoria abriu vários processos contra Shinawatra, sua esposa e sua família desde o golpe de Estado militar de 19 de setembro de 2006, que os expulsou do poder, após acusar-lhes de corrupção e nepotismo.

O pleito legislativo de 23 de dezembro devolveu o poder aos partidários de Shinawatra, um antigo coronel de Polícia que abandonou a corporação, montou um império empresarial e depois entrou na política para vencer as eleições de 2001.

    Leia tudo sobre: tailândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG