Mulher de número 2 da Al Qaeda pede às muçulmanas que usem lenço

Cairo, 17 dez (EFE).- A esposa do número 2 da Al Qaeda, Ayman al-Zawahiri, fez uma chamada às mulheres muçulmanas do mundo para que usem o lenço islâmico ou hiyab e se coloquem a serviço dos mujahedin ou guerreiros santos.

EFE |

Umaima Hassan Ahmed Hassan, esposa do considerado braço direito do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, publicou uma mensagem em um site utilizado habitualmente por radicais islâmicos.

É a primeira vez que a mulher de Ayman al-Zawahiri torna pública uma mensagem com essas características.

"As circunstâncias me impediam de dirigir-me às mulheres, mas chegou o momento de dizer as minhas irmãs que não se preocupem por nós e que cumpram as regras do islã, especialmente as que se referem ao véu porque esta é a forma de vestir das autênticas muçulmanas", diz a mensagem.

"Deixar de lado o hiyab é entregar-se a satanás", acrescentou.

A esposa do médico egípcio afirma que "a batalha do hiyab é a mais feroz. Como (na batalha) entre o islã e a infidelidade, os apóstatas querem que as mulheres abandonem sua religião e o lenço".

A mulher do terrorista defendeu em sua mensagem que as mulheres permaneçam junto a seus maridos "defendendo a religião e a terra com todos os meios possíveis".

"A jihad é um dever de todo muçulmano, seja homem ou mulher, mas lutar é uma missão difícil para as mulheres, por isso devemos estar junto aos nossos mujahedins", acrescentou.

Ayman Al-Zawahiri casou-se em 1979 com sua primeira esposa Aza Nawira, pertencente a uma abastada família egípcia, mas ela morreu no Afeganistão junto de cinco de seus filhos em dezembro de 2001, em um bombardeio americano. EFE nq-jrg/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG