Mulher de Murdoch vira orgulho para chineses após atacar agressor

Nascida na China e com nacionalidade americana, Wendi Deng deu um soco em jovem que jogou torta de espuma no rosto do magnata

EFE |

AP
Foto de 13 de julho de 2011 mostra Wendi Deng, mulher do magnata da mídia Rupert Murdoch, durante festival de cinema nos EUA
As imagens de Wendi Deng , mulher do magnata Rupert Murdoch, defendendo o marido de um ataque durante sessão no Parlamento britânico provocou manifestações de orgulho na China, onde ela nasceu. O vídeo de Wendi, que tem nacionalidade americana, dando um soco no jovem que jogou espuma no rosto do magnata foi amplamente discutido por chineses em fóruns online e redes sociais.

"Na hora de proteger seus filhos os maridos, as mulheres chinesas se transformam em tigres", afirmou um internauta em um fórum do site Sina. "Murdoch deve estar comovido: Wendi protegeu sua dignidade", afirmou outro usuário.

Outros compararam a força e a energia de Wendi, que é ex-jogadora de vôlei, às da primeira-imperatriz do país, Wu Zetian, célebre por ter se imposto em uma sociedade então dominada por homens. No fórum Sohu, um usuário declarou que "as mulheres chinesas são as melhores esposas".

O ataque a Murdoch aconteceu na terça-feira, durante seu depoimento no Parlamento britânico sobre o escândalo de escutas ilegais envolvendo o jornal News of the World . No final da sessão, o comediante Jonathan May-Blower, conhecido como Jonnie Marbles, avançou sobre Murdoch e jogou uma torta de espuma de barbear em seu rosto.

Wendi levantou-se rapidamente do assento atrás de seu marido, projetou seu braço em um grande arco e deu um soco no agressor. Ele foi preso, conseguiu liberdade condicional e será processado por perturbação da ordem pública.

A cena do soco direcionado ao agressor, capturado pelas câmeras durante a audiência, deu a volta ao mundo. Suas ações atraíram elogios imediatos até de legisladores que tinham feito duras questões a Murdoch, presidente da News Corporation , dona do agora extinto News of the World. “Sr. Murdoch, sua mulher tem um belo gancho de esquerda", disse Tom Watson, um parlamentar do opositor Partido Trabalhista britânico.

Wendi, convertida em heroína ao defender o marido octogenário, tem fama de ser uma mulher leal e ambiciosa. Antes desse gesto, ela já era conhecida por seu papel em uma das famílias mais poderosas do mundo. Apesar de não ocupar nenhum cargo na News Corp., ela é um apoio fundamental para ele e mostra um grande interesse por seu negócio.

O casal tem duas filhas que herdarão uma importante participação na News Corp., um grupo com tentáculos que possui jornais e redes de televisão em todo o mundo, entre eles a Fox, Sky TV e o jornal econômico Wall Street Journal.

Wendi conheceu o marido quando trabalhava em sua rede Star Television em Hong Kong. Seus ex-colegas a descrevem como uma mulher ambiciosa, com grandes habilidades sociais. Nascida em 1968 na cidade de Xuzhou, no leste da China, em plena Revolução Cultural, partiu de seu país aos 19 anos para estudar nos EUA, onde se tornou muito amiga do casal Jake e Joyce Cherry.

Ela viveu na casa desse casal na Califórnia, mas se mudou quando Joyce descobriu que seu marido e ela tinham um caso. Wendy e Cherry se casaram, mas se divorciaram menos de três anos depois. Enquanto isso, a chinesa adquiriu a nacionalidade americana.

Depois de se formar em gestão na Universidade de Yale em 1996, foi fazer um estágio na Star Television. Em um convite organizado pela companhia conheceu o futuro marido, então casado com sua segunda esposa, Anna. O terceiro casamento de Murdoch ocorreu em 1999 em um iate particular nos EUA, que havia comprado para sua aposentadoria.

O casal vive atualmente em Nova York com suas filhas Grace e Chloe. As duas herdarão uma imensa fortuna depois que Murdoch decidiu, em 2005, mudar seu testamento para dar-lhes uma parte igual a de seus primeiros filhos, já adultos.

Segundo essa mudança, Wendy terá um papel fundamental na família quando Murdoch morrer, já que será testamenteira e precisará garantir que as filhas recebam sua herança aos 30 anos.

Com EFE, AFP e informações do The New York Times

    Leia tudo sobre: news of the worldgrã-bretanhamurdochnews corp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG