TÓQUIO - Uma mulher de 61 anos deu à luz seu próprio neto, gerado através da implantação de um óvulo fertilizado doado por sua filha, afirmou a clínica responsável nesta quinta-feira. Esta pode ser a mulher mais velha a dar à luz no Japão.

Nascimentos como este são extremamente raros no Japão e a Clínica de Maternidade Suwa, em Nagano, noroeste de Tóquio, se recusou a informar a data de nascimento ou sexo do bebê. A mídia local diz que o bebê nasceu no ano passado.

"Tanto a mãe desenvolvedora quanto o bebê passam bem", disse Chihiro Netsu, porta-voz da clínica.

Netsu disse que a mulher é possivelmente a mais velha a desenvolver um bebê no Japão e a mídia local afirma que ela é a mais velha a dar à luz em geral.

O Ministério da Saúde do Japão não publica dados estatísticos sobre a idade das mães, dizendo apenas que ter os dados de dois partos realizados por mulheres de 55 anos ou mais em 2006, o último ano em que se registrou este tipo de informação.

A mãe de aluguel usou um óvulo fertilizado doado por sua filha, que não tem útero, afirmou Netsu.

O jornal Mainichi afirmou que a mãe mais velha do Japão anteriormente tinha 60 e implantou seu próprio óvulo fertilizado nos Estados Unidos.

A Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Japão, um poderoso corpo médico com mais de 15 mil membros, proibiu tais procedimentos, mas eles não são ilegais em clínicas particulares.

Na Clínica de Maternidade Suwa, oito mães de aluguel já deram à luz. Delas, quatro mulheres desenvolveram bebês de óvulos fertilizados de suas filhas.

Leia mais sobre Japão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.