Mulá Omar nega que talibãs tenham negociado com Governo afegão

Cabul, 23 dez (EFE).- O mulá Omar qualificou hoje de propaganda as informações segundo as quais os talibãs teriam realizado negociações de paz com o Governo do Afeganistão.

EFE |

"Recentemente, houve rumores sobre negociações entre os Emirados Islâmicos (nome com o qual os talibãs designaram seu regime) e seu rival (o Governo afegão) por parte dos inimigos e alguns meios de comunicação", afirmou, em comunicado em pashtun colocado no site dos talibãs.

"Mas a verdade é que os Emirados Islâmicos do Afeganistão não mantiveram negociações nem na Arábia Saudita, nem nos Emirados Árabes, nem em nenhum outro lugar", disse o mulá Omar.

O líder supremo talibã insistiu em que as informações sobre supostos encontros no reino saudita e Dubai entre membros da insurgência e do Executivo presidido por Hamid Karzai não têm fundamento e "são parte de uma propaganda planejada em certos círculos".

O mulá Omar também negou que tenha feito contato com o rei saudita, Abdullah bin Abdul Aziz - que seria o encarregado de mediar entre as duas partes - ou com o Governo afegão, que também não lhe enviou "nenhuma mensagem", disse.

Karzai reiterou durante os últimos meses que está disposto a negociar com os talibãs se estes aceitarem a Constituição.

O presidente afegão inclusive garantiu proteção ao mulá Omar e aos talibãs se aceitarem se sentar à mesa de negociações, mas também negou que tivessem ocorrido contatos.

Diante do aumento da morte de civis tanto por insurgentes quanto em bombardeios das forças estrangeiras no país, Karzai, que enfrenta decisivas eleições presidenciais em 2009, pediu à comunidade internacional que fixe uma data limite para acabar com o conflito que castiga o país. EFE lo-amp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG