Mujica e Kirchner analisam como administrar decisão sobre fábrica de celulose

Montevidéu, 6 abr (EFE).- Os presidentes de Uruguai, José Mujica, e Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, analisaram na segunda-feira a melhor forma de administrar a decisão da Corte Internacional de Justiça sobre o conflito sobre a instalação de uma fábrica de celulose na fronteira entre os dois paíse.

EFE |

O conteúdo da reunião entre os presidentes foi revelado pelo chanceler uruguaio, Luis Almagro, depois de voltar de Buenos Aires, onde acompanhou Mujica em uma breve viagem surpresa, informou hoje a imprensa do país.

"Vimos como administrar melhor a decisão", disse ontem à noite, em Montevidéu, após a visita-relâmpago à capital argentina.

O chanceler revelou também que ele e o ministro das Relações Exteriores argentino, Jorge Taiana, coordenarão a agenda posterior à resolução da corte internacional, prevista para ser divulgada no dia 20 de abril.

O ministro expressou seu convencimento de que a decisão judicial de Haia levará em conta a suposta violação do Tratado do Rio Uruguai, da qual Buenos Aires acusa Montevidéu, mas que será "gradual".

O conflito bilateral teve início em 2005, quando o antecessor de Mujica na Presidência uruguaia, Tabaré Vázquez, autorizou unilateralmente a construção da fábrica da finlandesa Botnia, em Fray Bentos. EFE rac/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG