Mugabe diz que Reino Unido quer instalar Governo tirano no Zimbábue

Johanesburgo, 18 abr (EFE) - O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, acusou hoje o Reino Unido de estar por trás do grupo de opositores que quer tirá-lo do poder e afirmou que não permitirá que seu país seja de novo uma colônia. Estamos sendo comprados como cordeiros, pois estamos sofrendo, afirmou o presidente do Zimbábue em um ato que liderou em um estádio do bairro de Highfield, aos arredores de Harare, para lembrar o 28º aniversário da independência do país. Segundo a agência ZimOnline e outros veículos de comunicação sul-africanos, em seu discurso Mugabe disse que o Reino Unido está tentando instalar no Zimbábue um Governo tirano que responda aos interesses do colonialismo. O Zimbábue nunca voltará a ser uma colônia, insistiu o chefe de Estado, que está no poder desde a independência do país, em 1980. O ato, presenciado por cerca de 20 mil pessoas, foi o principal de uma série de comemorações que ocorreram hoje em todo o país, segundo os cálculos da ZimOnline. Mas o veterano chefe de Estado, de 84 anos, considerado um herói regional por seu papel na luta contra o colonialismo, não fez qualquer menção às eleições gerais de 29 de março, cujos resultados ainda não foram divulgados. A Comissão Eleitoral, cujos membros são nomeados por Mugabe, só anunciou o resultado do pleito parlamentar, que ocorreu simultaneamente, e nas próximas horas pensa em fechar a contagem das eleições municipais. O opositor Movimento para a Mudança Demo...

EFE |

As críticas do presidente zimbabuano ao Reino Unido residem em que essa foi a nação que mais abertamente criticou as violações aos direitos humanos e políticos do regime de Mugabe, e, segundo ele, os britânicos "são ladrões que querem roubar" seu país.

O Zimbábue lembra de sua independência em meio à pior crise econômica de sua história, com uma inflação de 165.000% e um desemprego de 80%.

Mugabe mencionou superficialmente estes inconvenientes, e disse que o Governo "está tentando aliviar o sofrimento do povo". "Sabemos que o maior problema são os preços", acrescentou.

Não é a primeira vez que Mugabe acusa países ocidentais de apoiar a oposição zimbabuana.

O jornal governamental "The Herald" publicou na quinta-feira uma suposta correspondência nesse sentido entre Tsvangirai e o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown.

A embaixada britânica disse que dita correspondência era falsa e o próprio jornal publicou hoje o desmentido.

Mas, por causa dessas denúncias, Tsvangirai foi acusado de ser um traidor, uma acusação que já o levou à prisão há alguns anos e que foi retirada depois de um longo processo sem que a Justiça encontrasse provas suficientes para comprová-la.

"Provavelmente, vou quebrar o livro de recordes por ter sido acusado tantas vezes de traição", disse Tsvangirai na quinta-feira em entrevista coletiva concedida em Johanesburgo. EFE ag/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG