Mugabe diz que não dará mais poder à oposição

Harare, 18 jan (EFE).- O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, disse que não dará mais poder ao opositor Movimento para a Mudança Democrática (MDC), às um dia antes da reunião entre as partes para materializar um acordo político alcançado em setembro do ano passado.

EFE |

Em declarações publicadas hoje pelo semanário governista "Sunday Mail", Mugabe, de 84 anos, diz que as todas as concessões foram feitas em seu devido tempo, e que "a fase de negociações já terminou".

"Agora, é o momento no qual ou aceitam ou as comunicações são cortadas", declarou o presidente em relação à reunião que o Governo e o MDC terão amanhã.

"Além do mais, este é uma acordo provisório, e se (os opositores) têm algum problema, podemos falar disso depois que fizerem parte do Governo", acrescentou.

Segundo o documento original, assinado em 15 de setembro de 2008, Mugabe continuará sendo o presidente do Zimbábue, enquanto o líder do MDC, Morgan Tsvangirai, será o primeiro-ministro, e Arthur Mutambara, líder da ala minoritária do MDC, ocupará o posto de vice-primeiro-ministro.

No entanto, Tsvangirai se recusou a implementar o pacto, já que, segundo alega, o poder não distribuído de forma equitativa.

O argumento do líder opositor se baseia no fato de que Mugabe pretende ficar com os ministérios mais importantes, como os da Defesa e o de Interior, que controla o Exército e a Polícia.

Da reunião de amanhã, participarão como mediadores o presidente da África do Sul, Kgalema Motlanthe, e seu colega moçambicano, Armando Guebuza, assim como o ex-presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, presente nas negociações desde o seu início. EFE rt/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG