Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Mudar de dieta e de estilo de vida pode retardar envelhecimento, diz estudo

(embargada até as 20h01 de hoje em Brasília) Londres, 15 set (EFE) - Um estudo piloto revelou pela primeira vez que uma mudança de dieta e estilo de vida eleva os níveis da enzima telomerase, fundamental para a conservação dos telômeros nas células, que controlam o envelhecimento, segundo a revista médica The Lancet. Os telômeros são os extremos dos cromossomos. Trata-se de complexos de DNA cuja função principal é a estabilidade estrutural dos cromossomos nas células, a divisão celular e a duração das raízes celulares.

EFE |

Estão também estão envolvidos em doenças como o câncer.

À medida que as células se dividem, os telômeros se cortam e os cromossomos se desestabilizam, o que leva ao envelhecimento e, finalmente, à morte. Ou seja, à medida que os telômeros se cortam, diminui a vida do indivíduo.

A telomerase é a enzima que repara e alarga os telômeros, uma função vital para a manutenção das células do sistema imunológico.

O encurtamento dos telômeros é um indicador do risco de doença e de morte prematura em muitos tipos de câncer, entre eles os de mama, próstata, intestino e pulmão.

O professor Dean Ornish, do Instituto de Medicina Preventiva de Sausalito (Califórnia), e seus colegas da Universidade da Califórnia (San Francisco, EUA.), fizeram um estudo piloto com 30 homens que tinham sido diagnosticados com câncer de próstata de baixo risco.

Os cientistas pediram aos voluntários que se submetessem durante três dias a uma dieta com um teor de gorduras limitado a 10%, muito baixa em açúcares refinados e rica em alimentos integrais, frutas e hortaliças.

Esta dieta foi complementada com vitaminas e azeite. Os participantes realizaram também um programa de exercícios aeróbicos e de respiração e praticaram uma série de técnicas de controle do estresse e de relaxamento.

A atividade da telomerase foi medida no início do estudo e três meses depois.

Os pesquisadores descobriram que os níveis dessa enzima no sangue tinham aumentado em 29% depois desse tempo.

O aumento da atividade da telomerase esteve acompanhado além de uma diminuição do colesterol "mau" (LDL) e também do estresse.

Segundo os cientistas de Sausalito, as implicações de seu estudo não se limitam aos homens com câncer de próstata, mas a melhora na telomerase e dos telômeros devido à mudança de estilo de vida podem beneficiar também a população em geral. EFE jr/db

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG