Muçulmanos britânicos afirmam que ofensiva em Gaza reforça extremistas

Representantes da comunidade muçulmana do Reino Unido advertem, em uma carta publicada nesta quinta-feira ao primeiro-ministro britânico Gordon Brown, que a revolta provocada pela ofensiva de Israel em Gaza reforça os extremistas.

AFP |

"Como o senhor sabe, a revolta da comunidade muçulmana do Reino Unido atingiu um nível agudo", afirma a carta, publicada no jornal The Guardian.

"O uso por parte do governo israelense de uma força desproporcional tem reforçado os grupos extremistas e legitimado sua mensagem de violência e de conflito perpétuo", acrescenta o texto, assinado, entre outros, por Usama Hasan, imã da mesquita Al-Tawhid de Londres, e Dilwar Hussain, da Fundação Islámica.

"Potencialmente, corremos o risco de provocar a perda na fé no processo político entre os muçulmanos do Reino Unido e do exterior", acrescenta a carta.

Os signatários pedem a Gordon Brown esforços para convencer o governo dos Estados Unidos dos perigos de seu enfoque.

Pelo menos 704 palestinos, incluindo 220 crianças, morreram na ofensiva militar israelense contra o Hamas na Faixa de Gaza, segundo os serviços de emergência palestinos.

ar/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG