Cairo, 12 mai (EFE).- O presidente do Egito, Hosni Mubarak, pediu hoje a Israel que dê um grande passo no processo de paz para encorajar os países árabes a favor das negociações para resolver o conflito no Oriente Médio.

Em entrevista coletiva conjunta com o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, após a reunião que mantiveram hoje na localidade litorânea egípcia de Sharm el-Sheikh, Mubarak disse que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, quer trabalhar em três fases no processo de paz, sem especificá-los.

O presidente egípcio, nas declarações reproduzidas pela agência oficial "Mena", disse que os avanços nessas fases do processo de paz deveriam ser em paralelo e que, antes, Israel deve dar um grande passo para que os países árabes se sintam encorajados a dar outro.

Mubarak se reuniu ontem com Netanyahu em Sharm el-Sheikh, que expressou seu desejo de alcançar a paz com seus "vizinhos palestinos", e disse que confiava em retomar "nas próximas semanas" o diálogo com as autoridades palestinas.

Tanto Mubarak quanto Netanyahu se limitaram a fazer declarações, sem aceitar perguntas dos jornalistas.

Além disso, o líder egípcio pediu aos palestinos que se unam para conseguir um Estado, já que, "se continuar a situação como está e ambas as partes não se unificarem, em Gaza e na Cisjordânia, é o melhor presente a Israel para não negociar e não encontrar uma solução".

"Israel está feliz com a divisão palestina", advertiu Mubarak, cujo país atua como mediador para resolver as diferenças entre os palestinos, intensificadas depois que o grupo islâmico Hamas obteve com o controle da Faixa de Gaza em junho de 2007, após expulsar as forças leais ao Fatah.

Por outro lado, Berlusconi solicitou ao Estado israelense que seja flexível nas conversas.

"Não há dúvida de que Israel deve se caracterizar pela flexibilidade e se sentar na mesa de negociações", disse Berlusconi.

O premiê italiano defendeu também a solução de dois Estados, um palestino e outro israelense, e pediu que haja garantias a Israel de uma existência sem terrorismo.

Durante a visita de Berlusconi, foram assinados vários acordos bilaterais no âmbito educativo e tecnológico.

O ministro de Exteriores egípcio, Ahmad Aboul Gheit, anunciou que serão implementadas durante este ano 80 iniciativas de cooperação, como a criação de uma universidade egípcio-italiana no país árabe.

EFE aj-ssa/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.