Paris, 13 jul (EFE).- O presidente egípcio, Hosni Mubarak, diminuiu hoje a importância da ausência de seu colega sírio, Bashar al-Assad, durante o discurso do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, na Cúpula da União pelo Mediterrâneo (UPM) em Paris.

Já o presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse não saber do ocorrido.

Fontes diplomáticas tinham dito anteriormente que Assad se ausentou meia hora antes do discurso de Olmert no plenário da cúpula, que aprovou a criação da UPM.

Mubarak, quem co-presidiu a reunião junto a Sarkozy, disse que "não há problema" algum em um dos dirigentes não assistir a toda a reunião.

"Se Assad tinha que falar com alguém ou tinha algo que fazer fora da sala, onde está o problema?", perguntou-se o líder egípcio, que inclusive disse que o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, "não estava ali" no momento em que Olmert discursou.

Síria e Israel mantêm contatos indiretos sob mediação da Turquia em busca de início de negociações de paz.

Os dois países se encontram tecnicamente em estado de guerra desde 1948, e a Síria reivindica a devolução das Colinas de Golã ocupadas por Israel desde a Guerra dos Seis Dias, de 1967.

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, se reuniu hoje, separadamente, com Olmert e com Assad.

Fontes turcas informaram que foi Erdogan quem se deslocou primeiro ao hotel onde estava hospedado o primeiro-ministro israelense e que, posteriormente, se transferiu para onde estava o presidente sírio. EFE rcf/rb/plc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.