Mubarak acusa Israel de sabotar acordo sobre libertação de Shalit

O presidente egípcio, Hosni Mubarak, acusou Israel de ter abortado um acordo que culminaria com a libertação do soldado israelense Gilad Shalit, capturado há três anos por grupos armados palestinos, em entrevista feita a um jornal israelense.

AFP |

Mubarak, cujo governo está diretamente envolvido nas negociações pela libertação de Shalit, declarou ao jornal Yediot Aharonot que o soldado estava a ponto de ser entregue aos egípcios quando Israel modificou as condições da troca de prisioneiros.

"Há condições para pôr fim ao problema de Gilad Shalit e estávamos a ponto de consegui-lo, mas vocês atrasaram tudo", disse Mubarak, segundo uma transcrição da entrevista citada nesta quinta-feira pela agência oficial egípcia Mena.

"Estávamos a ponto de receber Shalit do Hamas, para mantê-lo conosco até que vocês soltassem os (prisioneiros) palestinos", disse, referindo-se ao grupo radical islâmico que controla a Faixa de Gaza, que mantém Shalit preso.

"Vocês não pararam de dizer 'vamos soltar este, mas não esse', e o caso se complicou quando vocês introduziram novos elementos", acrescentou.

O soldado israelense Gilad Shalit, de 22 anos, foi capturado no dia 25 de junho de 2006 pelo Hamas durante uma operação do exército na fronteira da Faixa de Gaza.

Israel e Hamas realizam negociações indiretas através da mediação do Egito para que Gilad Shalit seja libertado em troca de centenas de prisioneiros palestinos.

se/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG