Movimento pró-Zelaya convoca manifestação em Tegucigalpa

Tegucigalpa, 23 set (EFE).- O movimento popular que exige a restituição do presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, convocou hoje uma manifestação em Tegucigalpa, onde, apesar ao toque de recolher, a noite foi de distúrbios.

EFE |

Em declarações a uma rádio local, Rafael Alegria, um dos coordenadores da resistência, fez um apelo para que os seguidores de Zelaya continuem se mobilizando.

Alegria pediu aos setores populares que se concentrem para uma manifestação na Universidade Pedagógica Francisco Morazán, na zona leste de Tegucigalpa.

Ao reiterar que o protesto será pacífico, o ativista disse que o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general Romeo Vásquez, não poderá fazer nada contra o povo.

"O povo não está armado, não quer confronto. Praticamente estamos vivendo um caos humanitário. Não há alimentos, água suficiente nem combustíveis no país. Não podemos viver esta situação por muito tempo, devemos buscar uma solução pacífica", acrescentou Alegria.

A marcha popular de hoje "é pelo diálogo", insistiu o líder popular, segundo quem "não é justo" que a crise política que Honduras vive se estenda por mais tempo.

Por sua vez, o porta-voz da Polícia, Orlin Cerrato, disse à Agência Efe que na noite de ontem foram registrados "distúrbios" em várias regiões de Tegucigalpa.

Ele não confirmou as seis mortes denunciadas por Zelaya nos tumultos. Mas admitiu que uma pessoa foi baleada durante os confrontos de terça-feira e que cinco mercados foram saqueados em bairros e distritos da capital.

Ainda segundo o porta-voz, também foram registrados "confrontos diretos" entre manifestantes e a Polícia, e, nas últimas horas, 113 pessoas foram detidas por promover a desordem e desrespeitar o toque de recolher. EFE gr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG