Proposta foi feita em 2007 por chefe do serviço secreto israelense, indicam os documentos vazados pelo site Wikileaks

Meir Dagan, chefe do serviço secreto israelense no exterior, Mossad, apresentou aos EUA um plano para realizar um golpe de Estado no Irã em 2007, segundo o jornal israelense "Yedioth Ahronoth", que cita documentos vazados pelo site Wikileaks.

Em um encontro com o então subsecretário de Estado para Assuntos Políticos, William Burns, Dagan disse que Israel e EUA mantinham diferentes pontos de vista sobre o calendário do Irã para obter a capacidade nuclear, informa nesta segunda-feira o site do periódico.

O chefe do Mossad afirmou nessa reunião que ainda havia tempo para resolver a questão nuclear iraniana, mas advertiu que a República Islâmica estava determinada a obter a capacidade nuclear.

Segundo os documentos, o responsável israelense apresentou um programa em cinco fases para impedir esse objetivo, que incluía a continuação dos esforços diplomáticos, uma nova rodada de sanções contra o Irã e a necessidade de impedir a transferência de conhecimentos e tecnologia a Teerã.

Uma das cláusulas que mais chamaram a atenção da imprensa israelense é a proposta do chefe do Mossad de fazer um golpe de Estado contra o regime iraniano. Dagan levou a seus interlocutores americanos a proposta de recrutar estudantes pró-democracia e movimentos étnicos, assim como dissidentes, para conseguir derrubar o governo de Teerã.

O chefe do Mossad afirmou que Israel não estava sozinho diante da ameaça nuclear iraniana e destacou a preocupação de Jordânia, Arábia Saudita e dos países do Golfo. Segundo ele, esses países "esperam que alguém faça o trabalho por eles".

Em relação ao processo de paz entre israelenses e palestinos, Dagan expressou pessimismo ao assinalar que "não se pode conseguir nada", apesar de mais de uma década negociando um acordo definitivo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.