Os Estados Unidos devem escolher entre seu apoio ao governo da Geórgia ou a aliança real com a Rússia, disse nesta terça-feira o chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, citado pela agência Interfax.

"Compreendemos que a Geórgia represente um projeto especial para os Estados Unidos e que os Estados Unidos se preocupem com a sorte desse projeto", declarou Lavrov à imprensa russa.

No entanto, "um dia Washington terá que escolher entre o apoio a um projeto virtual e a aliança real sobre questões que necessitam verdadeiramente ações coletivas", acrescentou.

O ministro russo recordou que durante "todos estes anos, a Geórgia foi armada, principalmente pelos Estados Unidos".

A Rússia "preveniu seus pares americanos em numerosas ocasiões de que era um jogo perigoso que poderia desembocar em aventura iniciada pela própria Geórgia", assinalou.

"Nos garantiram sempre que os Estados Unidos mantinham a situação sob controle", disse Lavrov.

Os Estados Unidos se encarregaram desde 2002 da formação do exército georgiano, enviando instrutores militares, além de contribuirem com equipamento militar.

A Casa Branca apoiou, além disso, ativamente, o presidente pró-ocidental Mikhail Saakashvili, desde sua chegada ao poder no final de 2003.

Em contrapartida, a Geórgia ofereceu 2.000 militares para o Iraque, formando, assim, o terceiro contingente estrangeiro em número de tropas. Estes homens regressaram agora à Geórgia em pleno conflito com a Rússia, trasladados por aviões dos Estados Unidos.

via/lpt/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.