Moscou acusa Londres e Washinton de frear resolução da ONU sobre a Geórgia

Os esforços empreendidos por Moscou e Paris para que o Conselho de Segurança da ONU aprove uma resolução sobre o conflito russo-georgiano batem de frente com a oposição dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, lamentou em nota nesta segunda-feira o ministério russo das Relações Exteriores.

AFP |

"Rússia e França trabalham ativamente com esse objetivo, de modo que o Conselho de Segurança adote uma decisão que recolha plenamente os acordos alcançados em Moscou no dia 12 de agosto", durante a visita do presidente francês Nicolas Sarkozy, diz o comunicado russo.

Seus esforços "enfrentam a oposição dos Estados Unidos, que tentam desvirtuar o conteúdo (do acordo) a posteriori", continuou o ministério.

A Rússia reprova a Washington e Londres o fato de ignorarem "a necessidade urgente de começar a examinar seriamente a questão do estatuto da Ossétia do Sul e da Abkházia".

"Não é possível garantir uma estabilidade duradoura nas duas repúblicas sem uma decisão sobre seu estatuto", sentenciou o ministério.

O exame do estatuto de ambos os territórios separatistas da Geórgia foi eliminado, a pedido de Tblisi, da versão final do plano de paz proposto pela França, que ocupa a presidência semestral da União Européia (UE).

A atual crise russo-georgiana explodiu pela ofensiva do exército georgiano para recuperar o controle da Ossétia do Sul no dia 7 de agosto e a conseqüente resposta russa.

bfi/via/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG