Mortos por terremoto na Costa Rica são 5, não 14, como fora divulgado

San José, 9 jan (EFE).- A Cruz Vermelha corrigiu o número de mortos em um terremoto de 6,2 graus na escala Richter que atingiu ontem a Costa Rica, esclarecendo que foram cinco vítimas fatais, e não 14 como havia divulgado anteriormente.

EFE |

A entidade atribui a informação incorreta a um "erro de comunicação interna".

Os mortos confirmados até agora são três meninas e uma pessoa ainda não identificada, sepultadas por derrubadas, e uma mulher que sofreu um ataque ao coração, apontou.

Carlos Gutiérrez, porta-voz da Cruz Vermelha, explicou que integrantes das equipes de socorro confundiram uma informação de 14 desaparecidos com de vítimas fatais, em meio a uma comunicação via rádio.

Segundo os números oficiais, há agora 22 desaparecidos na área próxima ao epicentro do sismo e cinco mortos, embora os trabalhos de resgate continuem nas regiões que se encontram isoladas pelos desmoronamentos e das quais ainda não há informação precisa.

O terremoto teve seu epicentro em uma área montanhosa dez quilômetros ao leste do Vulcão Poás, que, por sua vez, fica cerca de 60 quilômetros ao oeste da capital San José.

Especialistas afirmaram que o terremoto não tem relação com o vulcão.

Segundo a Comissão Nacional de Emergências (CNE), 5 patrulhas de diversas instituições foram às áreas afetadas pelo tremor e quatro helicópteros realizam trabalhos de resgate e assistência.

As autoridades ainda esperam a chegada de dois helicópteros do Exército dos Estados Unidos, que se unirão aos trabalhos de assistência aos desabrigados.

A Cruz Vermelha indicou que até agora se confirmaram 2.450 desabrigados, além de 1.078 transferidos a albergues, e mais de 1.244 isolados, entre eles 200 turistas, costarriquenhos e estrangeiros. EFE dmm/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG