Mortos por febre aftosa humana vão a 34 na China

O governo da China informou nesta sexta-feira que já chega a 34 o número de mortes causadas pelo surto de febre aftosa humana que atinge o país. Até o momento, quase 25 mil pessoas foram infectadas.

BBC Brasil |

A maioria das vítimas é de crianças moradoras das áreas rurais.

Os últimos quatro novos casos fatais incluem um bebê de oito meses e um menino de um ano, respectivamente, nas províncias de Guangdong e Guangxi.

Os outros dois casos ocorreram na província de Anhui, no leste da China, a mais afetada, totalizando 22 mortes.

Ajuda

Os Estados Unidos ofereceram ajuda à China, informou a imprensa estatal nesta sexta-feira.

William Steiger, diretor de Saúde Global no Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo norte-americano, virá a Pequim na próxima semana para tratar do assunto.

Cientistas chineses e americanos já estão investigando em conjunto as causas da epidemia e pesquisando remédios antivirais para a doença.

"Nós desejamos ajudar a China de todas as formas possíveis nessa questão", afirmou Steiger ao jornal oficial China Daily.

Sob controle

Ao longo da semana, as autoridades chinesas reafirmaram que a situação está sob controle e que a epidemia não atrapalhará Jogos Olímpicos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse que provavelmente essa epidemia não chegará a atingir proporções catastróficas.

A febre aftosa que ataca humanos é uma doença comum na China.

No ano passado, o país registrou cerca de 80 mil casos, entre os quais 17 fatais.

Os sintomas da febre aftosa humana são febre, mal estar e feridas ao redor da boca e extremidades.

A HFMD, como é conhecida na sigla em inglês para Hand Foot and Mouth Disease, é uma síndrome causada por vírus intestinais da família Picornaviridae.

Vários subtipos do vírus foram encontrados nas vitimas da epidemia que assola a China. Entretanto, o subtipo de maior incidência é o enterovirus 71, EV17, altamente mortal.

Especialistas acreditam que por se tratar exatamente do subtipo EV71, a atual onda de contágio tem causado mais mortes do que em anos anteriores.

Leia mais sobre: febre aftosa

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG