Londres, 16 jul (EFE).- O número oficial de pessoas que morreram no Reino Unido após contrair a gripe suína aumentou em 12 pessoas - de 17 para 29 - desde segunda-feira passada, de acordo com os dados mais recentes oferecidos pelo Governo britânico.

Segundo a mais recente informação divulgada pelo Ministério da Saúde, que precisa que as mortos ocorreram "após contrair o vírus", e não necessariamente por causa do mesmo, 26 das mortes ocorreram na Inglaterra e as outras três na Escócia.

O vírus está se espalhando com rapidez no Reino Unido, que, após EUA e México, é o terceiro país em número de infectados, e na semana passada foram contabilizados oficialmente 55 mil novos casos.

No início do mês, o ministro da Saúde britânico, Andy Burnham, disse que os contágios para o final de agosto podem chegar a 100 mil diários, e o Governo estimou hoje que quase um em cada oito trabalhadores britânicos terá muito provavelmente que ficar em casa por causa da gripe suína nas próximas semanas.

Segundo esta projeção governamental adiantada pelo jornal "Financial Times", 30% da população poderia ser infectada com a gripe suína na primeira onda da pandemia, à qual seguirá, segundo as expectativas, outra no final do ano.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE fpb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.