Mortes por gripe causam alarme na Argentina

Buenos Aires, 24 jun (EFE).- O avanço da gripe suína na Argentina, que já causou a morte de 18 pessoas no país, provocou alarme na população e problemas nos hospitais, o que levou o Governo a pedir calma hoje e que as medidas de prevenção sejam mais duras.

EFE |

A proliferação da gripe, que já infectou 1.294 pessoas, segundo o relatório oficial divulgado nesta terça-feira, obrigou as autoridades a instalarem postos sanitários móveis na cidade e na província de Buenos Aires, entre outras medidas.

A Argentina é o país que registrou mais mortes pelo vírus na América do Sul.

Por causa disso, o Governo do Brasil recomendou que os maiores de 60 anos, os menores de dois e as pessoas com o sistema imunológico debilitado adiem suas viagens à Argentina e ao Chile, países sul-americanos mais afetados pela doença.

"É uma recomendação de saúde, como a que nós fizemos para que os argentinos evitassem viajar para zonas de risco, como os Estados Unidos, Canadá e México", disse hoje a ministra da Saúde da Argentina, Graciela Ocaña, que insistiu que a medida brasileira "não incomoda" as autoridades do país.

Em declarações concedidas ao canal de televisão "Todo Noticias", a ministra pediu à população para manter a calma e para levar a sério as medidas de prevenção para frear a propagação do vírus. EFE hd/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG