Morte de político causa vandalismo no Paquistão

Islamabad, 26 jan (EFE).- Um protesto de centenas de xiitas terminou hoje com atos de vandalismo nas ruas de Quetta, no sudoeste do Paquistão, pelo assassinato horas antes de um político da minoria hazara, vinculada a eles, segundo a imprensa local.

EFE |

Os manifestantes queimaram pneus e motocicletas, quebraram vidros de lojas e lançaram pedras contra prédios em diversos pontos da capital da empobrecida província de Baluchistão, segundo as imagens divulgadas pela imprensa.

Os distúrbios, que obrigaram o fechamento de muitas lojas e escritórios, deixaram pelo menos cinco feridos, segundo a Polícia, que utilizou gás lacrimogêneo para dispersar os protestos.

O presidente do Partido Democrático Hazara (HDP), Hussain Ali Yousfi, foi baleado por um grupo de desconhecidos esta manhã na avenida de Jinnah, em Quetta.

Segundo o canal privado de TV "Dawn", o assassinato foi reivindicado pelo grupo terrorista sunita Lashkar-e-Jhangvi (LeJ), uma organização supostamente vinculada à rede internacional Al Qaeda que ataca frequentemente a comunidade xiita no Paquistão.

Há duas semanas, quatro policiais da comunidade xiita, minoritária no Paquistão, onde grande parte da população é sunita, foram também assassinados por militantes do LeJ.

"A comunidade étnica hazara, ligada aos xiitas, conta com pouca presença em Baluchistão e está concentrada quase exclusivamente em Quetta, onde há 100 mil pessoas que vieram há séculos do Afeganistão", explicou à Agência Efe o vice-presidente do Partido Nacionalista Baluchi, Ishaque Baloch. EFE igb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG