Morte de policial tumultua partida de Sarkozy em Israel

A partida nesta terça-feira do presidente francês, Nicolas Sarkozy, de Israel foi marcada por confusão depois que um soldado morreu com um tiro disparado por sua própria arma no aeroporto Ben-Gurion. Sarkozy e sua esposa, Carla Bruni, foram levados às presas para dentro do avião depois que o tiro foi ouvido no aeroporto israelense.

BBC Brasil |

O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, também foi retirado do local às pressas.

Micky Rosenfeld, um porta-voz da polícia, afirmou que o segurança cometeu suicídio e que todo o incidente não significou uma ameaça para os visitantes.

Rosenfeld também negou que o incidente possa ter sido uma tentativa de assassinato contra o presidente francês. No entanto, ainda não há uma versão definitiva para o caso e também há informações que sugerem que o soldado pode ter disparado a arma por acidente.

Segundo testemunhas o incidente estava encerrado depois de alguns minutos e Olmert entrou no avião de Sarkozy para se despedir do casal e explicar o que tinha acontecido.

Segundo a Rádio Israel o soldado estava trabalhando no perímetro do aeroporto, a cerca de 100 ou 200 metros do avião do presidente francês, quando morreu.

Imagens de televisão mostraram o presidente francês e sua esposa sendo levados às pressas pelos degraus da escadaria que levava ao avião.

O presidente israelense, Shimon Peres, que também participava da cerimônia no aeroporto, foi levado para seu carro blindado.

A visita de Sarkozy visava melhorar as relações entre a França e Israel.

Nesta terça-feira o presidente francês também se reuniu com o líder palestino Mahmoud Abbas e expressou seu apoio à criação de um Estado palestino.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG