Morte de pessoas próximas faz Brad Pitt refletir sobre a vida

Londres, 30 jan (EFE).- Ao terminar a filmagem cheguei à conclusão de que o tempo passa rápido, comentou o ator americano Brad Pitt, em relação à morte de diversas pessoas próximas a ele e à equipe de O curioso caso de Benjamin Button, que o fez pensar em sua própria mortalidade.

EFE |

A mãe de sua mulher, Angelina Jolie, morreu um mês após o início das filmagens, assim como o pai do diretor do filme David Fincher, e a mãe do roteirista Eric Roth.

O próprio tema do filme, sobre um homem que nasce velho e segue rejuvenescendo até morrer bebê estimulou ainda mais estes pensamentos do ator, que diz não saber se "me resta um dia (de vida) ou 10 ou 40 anos".

"Tinha um amigo que trabalhava em um asilo de idosos e me disse que em seus últimos momentos, as pessoas não falam de seus sucessos, seus prêmios ou dos livros que escreveram. Só falam dos seres que amaram e de seus remorsos. Acho que isso é muito significativo", conta o ator, de 45 anos.

Para aproveitarem melhor o tempo que lhes possa restar, ele e Jolie já planejam acrescentar mais crianças à sua já numerosa família, com seis filhos, três dos quais adotados.

Tendo adotado somente crianças de países pobres -Vietnã, Etiópia e Camboja-, Pitt diz que se considerada o verdadeiro agraciado.

"Estamos em condições de lhes oferecer um lar e devo reconhecer que há nisso algo de egoísmo, porque nos vimos extraordinariamente recompensados".

"Não temos motivo para parar. Às vezes, tudo é caótico, mas há tanta alegria na casa...", explica. EFE jr/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG