Morte de menino que disparou Uzi gera polêmica nos EUA

A morte de um menino de oito anos que operava uma submetralhadora Uzi durante uma feira de armas em Massachusetts causou nova polêmica sobre a regulamentação de armas nos Estados Unidos. Christopher Bizilj morreu depois de perder o controle da submetralhadora devido ao coice da arma.

BBC Brasil |

O menino tentava disparar contra uma abóbora.

O pai do menino e um instrutor de tiro estavam presentes quando o acidente ocorreu no domingo, em uma feira de armas em Westfield.

Legisladores do Estado de Massachusetts agora estudam um projeto de lei para proibir que menores de 21 anos disparem armas automáticas.

"É quase indescritível que um menino de oito anos (...) possa estar com uma submetralhadora", disse o congressista Michael Costello ao jornal Boston Globe.

"Temos que tomar medidas rápidas para implementar restrições lógicas a este tipo de prática ilógica", acrescentou.

Diferenças
O Estado de Massachusetts tem uma lei severa que exige o consentimento dos pais e a presença de um instrutor de tiro licenciado e autorizado para que uma criança dispare uma arma de fogo.

Wayne Sampson, diretor-executivo da Associação de Policiais de Massachusetts, afirmou que a morte de Christopher Bizilj mostra "uma deficiência da lei atual". Para ele, a legislação atual deveria refletir as diferenças entre um adolescente de 15 anos segurando uma arma poderosa como a Uzi e um menino de 8 anos fazendo o mesmo.

"O problema é que não existe nenhuma restrição à idade da pessoa que pode usar uma arma. Eu não permitiria que meu filho de 8 anos manuseasse uma arma como esta. Acredito que está além da capacidade deles, devido à velocidade e ao coice desta arma", disse Sampson ao Boston Globe.

O menino estava em um campo de tiro ao ar livre e foi ferido uma vez na cabeça quando disparou a arma. Com o coice, a Uzi disparou para cima e para baixo.

O pai do menino, Charles Bizilj, afirmou que estava três metros atrás de seu filho quando o acidente aconteceu na Exposição de Metralhadoras e Armas de Fogo no clube de Westfield.

Bizilj disse ao jornal Boston Globe que permitiu que seu filho disparasse a Uzi - que pode disparar centenas de tiros por minuto - pois a submetralhadora é considerada como tendo um coice mais fraco.

Bizilj afirmou que Christopher já tinha disparado armas de fogo e rifles antes, mas nunca tinha disparado uma automática.

"Este foi um evento horrível (...) e eu realmente não sei por que aconteceu", disse Bizilj, que também é diretor de um hospital de Ashford, Connecticut.

As investigações da polícia local tentam descobrir se os organizadores da feira tinham as autorizações necessárias para o evento e o disparo de armas de fogo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG