Morte de líder é golpe à moral das Farc, diz governo

A suposta morte do líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Manuel Marulanda, o Tirofijo , divulgada pelo governo colombiano, é um golpe à moral da guerrilha, disse o vice-ministro da Defesa ao jornal La Nación.

BBC Brasil |


Em entrevista ao diário argentino publicada neste domingo, Sergio Jaramillo voltou a confirmar que Marulanda estaria de fato morto e definiu sua morte como um golpe ainda mais duro do que a recente morte de Raúl Reyes, considerado o número dois do grupo rebelde.

AFP
Líder das Farc em foto de arquivo
Líder das Farc
em foto de arquivo
Jaramillo citou ainda um encontro que teve com a guerrilheira Karina, uma das principais comandantes das Farc, que se entregou à polícia no último domingo.

Segundo o vice-ministro, ela teria feito uma análise de 24 anos dentro da guerrilha e afirmou que "ao invés de ir para frente, as Farc estão acabadas".

"A figura de Marulanda conferia uma coerência ao grupo. Até agora", afirmou Jaramillo ao La Nación.

Questionado sobre o futuro da guerrilha, o vice-ministro afirmou que será difícil que os comandantes selecionem um novo líder.

Segundo ele, "com tudo o que já aconteceu com o grupo e com os membros mais importantes fora do jogo, a maioria dos membros do Secretariado está mais preocupada com sua segurança do que qualquer outra coisa", concluiu.

Leia mais sobre: Farc

    Leia tudo sobre: farc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG