Morte de Bin Laden é destaque na imprensa internacional

Jornais e sites de todo o mundo dão ampla cobertura à notícia de que líder da Al-Qaeda foi morto por forças dos EUA

iG São Paulo |

A morte do líder da rede terrorista Al-Qaeda Osama bin Laden é destaque em jornais e sites de todo o mundo nesta segunda-feira. Os principais veículos de comunicação montaram uma cobertura especial sobre a operação que matou o homem mais procurado pelos Estados Unidos.

O "The New York Times" dedicou toda a primeira página ao assunto, destacando o anúncio do presidente Barack Obama, a comemoração dos americanos ao saber da notícia e um perfil de Bin Laden, intitulado: "um emblema do mau nos Estados e um ícone para a causa do terror".

"O anúncio do presidente Obama, no fim da noite de domingo, de que Osama Bin Laden havia sido morto transmitiu não apenas o tão esperado triunfo na área de segurança nacional para os Estados Unidos, mas também uma significativa vitória para Obama, cuja política externa tem sido objeto de persistente criticismo por parte de seus rivais", diz o "The New York Times". "O desenrolar (dos fatos anunciados por Obama) é quase certamente um dos momentos mais significativos e definidores de sua presidência".

O "The Washington Post" também deu ampla cobertura para o episódio, dando ênfase a uma das principais frases de Obama durante o anúncio da morte de Bin Laden: "A Justiça foi feita".

Sites de jornais europeus como o italiano "Corriere della Sera", o espanhol "El País" e o francês "Le Monde" também destacaram a morte de Bin Laden, assim como a rede britânica BBC.

A notícia também ganhou cobertura especial na versão online do diário argentino "Clarín", do mexicano "El Universal", do chileno "La Tercera", entre outros.

Anúncio

O anúncio da morte de Bin Laden foi feito por Obama na madrugada desta segunda-feira (horário de Brasília).

Obama afirmou que, após ter recebido informações de inteligência confiáveis sobre o lugar onde se encontrava Bin Laden, no Paquistão, na semana passada deu a ordem de atacar. A operação foi conduzida por um "pequeno grupo" e o líder terrorista foi morto após troca de tiros.

Bin Laden era o primeiro na lista dos criminosos mais procurados pelas autoridades americanas. As forças americanas tentavam capturar o líder da Al-Qaeda há mais de dez anos, antes dos ataques de 11 de Setembro de 2001, que mataram cerca de 3 mil pessoas no World Trade Center, em Nova York, e no Pentágono, em Washington.

    Leia tudo sobre: osama bin ladenobamaeuaafeganistãoal-qaeda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG