O poeta martinicano Aimé Césaire, considerado o pai do movimento negritude, faleceu nesta quinta-feira aos 94 anos em Fort de France (Martinica), no centro médico onde se encontrava hospitalizado desde 9 de abril.

Desde sua internação por problemas de natureza cardíaca circulavam rumores sobre seu estado de saúde preocupante.

Aimé Césaire foi, junto com o senegalês Leopold Sedar Senghor e o guaianês Leon-Gontran Damas, um dos impulsores da corrente conhecida como "negritude".

Defensor do mundo negro e de sua revolta contra o colonizador, se definia "fundamentalmente poeta, mas poeta comprometido" e "negro, negro, desde o fundo do céu imemorial".

Césaire é autor de uma obra veemente e reivindicativa, às vezes muito próxima do surrealismo.

npk-cgd/cn/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.