Morre um dos principais clérigos dissidentes do Irã

Um dos clérigos dissidentes mais importantes do Irã, o aiatolá Hoseyn Ali Montazeri, morreu na noite de sábado aos 87 anos, de acordo com informações da agência de notícias estatal iraniana Irna.

BBC Brasil |

AFP
Montazeri em foto de 2005
Montazeri em foto de 2005
Durante sua vida, Montazeri passou de um dos pilares da Revolução Islâmica de 1979 a um dos principais críticos das lideranças do país.

Ele acusava os governantes iranianos de impor uma ditadura em nome do Islã e disse que a libertação que deveria ter vindo após a revolução de 79 nunca ocorreu.

Montazeri também era um importante opositor do presidente Mahmoud Ahmadinejad e emitiu um decreto religioso (fatwa) o condenando após a polêmica eleição presidencial de junho deste ano.

Liderança

Hoseyn Ali Montazeri era uma das figuras mais respeitadas entre os xiitas e chegou a ser indicado como sucessor do fundador da República Islâmica, o aiatolá Ruhollah Khomeini, mas os dois se desentenderam sobre questões de direitos humanos poucos meses antes de Khomeini morrer de câncer, em 1989.

Em 1997, ele teve um famoso embate com o sucessor de Khomeini, Ali Khamenei, depois de questionar os poderes do líder supremo e de pedir mais transparência na avaliação dos fracassos da Revolução, o que acabou levando a sua marginalização.

Com a oposição ao presidente Mahmoud Ahmadinejad, Montazeri se tornou uma improvável inspiração para reformistas iranianos.

Apesar da idade e da saúde frágil, Hoseyn Ali Montazeri apoiou as alegações da oposição de que os resultados da eleição deste ano, que deram a Ahmadinejad a reeleição, haviam sido fraudados.

Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG