WASHINGTON - Percy Sutton, o advogado pioneiro dos direitos civis que representou o líder afro-americano Malcolm X e desempenhou um importante papel na vida política nova-iorquina morreu no sábado aos 89 anos, como anunciado somente hoje.

Marissa Shorenstein, porta-voz do escritório do governador de Nova York, David Paterson, confirmou neste domingo a morte do homem ao qual o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se referiu este domingo em comunicado como "um verdadeiro herói" para os afro-americanos.

"Sua longa dedicação à luta pelos direitos civis e sua carreira como um empresário e funcionário público tornou possível o progresso de um número incontável de afro-americanos", afirmou Obama no comunicado.

"Michelle e eu expressamos nosso pesar a sua família neste triste dia", afirmou o presidente.

Filho de um escravo, Sutton se transformou referência obrigatória entre os afro-americanos do bairro nova-iorquino do Harlem em plena luta pelos direitos civis.

O advogado serviu como membro da assembleia legislativa de Nova York e foi presidente do bairro nova-iorquino de Manhattan em 1966, se transformando no funcionário afro-americano de mais alta categoria do estado.

"The New York Times" lembra em sua edição digital que Sutton teve também sorte nos negócios.

Seu império empresarial incluiu investimentos em estações de rádio, televisão a cabo e programação televisiva, assim como tecnologia interativa para cadeias de rádio.

Leia mais sobre Percy Sutton

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.