Morre o senador Ted Kennedy, encerrando saga familiar na política americana

O senador americano Edward Ted Kennedy faleceu na noite de terça-feira, vítima de um câncer cerebral aos 77 anos, após uma longa carreira em defesa da educação e da saúde, anunciou a família, um fato que encerra uma saga que dominou a política dos Estados Unidos desde os anos 1960.

AFP |

"Edward M. Kennedy, o marido, pai, avô, irmão, tio que amamos tão profundamente, morreu no fim da noite de terça-feira em casa em Hyannis Port, Massachussetts", afirma um comunicado da família.

"Perdemos o centro insubstituível de nossa família e uma alegre luz em nossas vidas, mas a inspiração de sua fé, otimismo e perseverança viverá em nossos corações para sempre".

A morte de Ted Kennedy encerra uma era da política americana, na qual sua família parecia predestinada a governar.

"Agradecemos a todos os que cuidaram dele e o apoiaram no último ano e a todos os que estiveram junto dele durante tantos anos na incansável marcha para o progresso por meio da justiça, igualdade e oportunidades para todos. Amava seu país e dedicou sua vida a servi-lo", completa a nota da família.

O chamado "leão liberal" do Senado americano era o mais novo dos nove irmãos Kennedy, que incluíam o presidente John F. Kennedy, assassinado em 1963, e o senador Robert Kennedy, assassinado durante a campanha pela indicação presidencial democrata de 1968.

'Teddy' foi o único dos irmãos homens do clã Kennedy que não morreu violentamente. O irmão mais velho, Joseph, piloto, morreu durante a Segunda Guerra Mundial em um acidente aéreo.

Mas Ted Kennedy nunca alcançou o que muitos consideravam seu destino: a presidência.

Ele perdeu a indicação democrata para o então presidente Jimmy Carter em 1980, mas sua vida já estava marcado por uma série de escândalos.

Em 1969 perdeu o controle do carro e caiu de uma ponte de Chappaquiddick, Massachusetts, em um acidente no qual morreu sua secretária, Mary Jo Kopechne.

O escândalo se agravou quando foi noticiado que Kennedy nadou para se afastar do veículo, abandonando Kopechne, e só alertou as autoridades um dia depois. Mas o então jovem senador recebeu apenas uma sentença com sursis de dois meses e obteve uma reeleição fácil para o Senado.

oh/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG