Morre o ex-presidente da Venezuela Rafael Caldera

O ex-presidente da Venezuela, Rafael Caldera, que governou o país de 1969 a 1974 e de 1994 a 1999, morreu na madrugada desta quinta-feira em Caracas, aos 93 anos, depois de longa enfermidade, confirmou sua família à imprensa, assinalando que não aceitará nenhuma homenagem de Estado.

AFP |

Segundo seu filho Andrés Caldera Pietri, a família "não aceitará nenhum tributo do governo" do presidente Hugo Chávez, a quem o ex-presidente venezuelano entregou o poder em 1999.

Rafael Caldera nasceu em San Felipe (Yaracuy, noroeste) em 24 de janeiro de 1916. Foi fundador do partido social-cristão Copei e fez parte do "Pacto de Punto Fijo", assinado no final dos anos 50, depois de derrocada a ditadura de Marcos Pérez Jiménez pelos principais dirigentes políticos venezuelanos e que assentou as bases da democracia no país.

Durante seu segundo governo (1994-1999), libertou os militares envolvidos na tentativa de golpe de Estado de 1992 liderada por Chávez que, depois de deixar a prisão, filiou-se ao partido Quinta República (MVR, esquerda) que o levou à presidência nas eleições de 1998.

Rafael Caldera foi advogado e doutor em Ciências Políticas, assim como autor de uma numerosa obra de ensaios políticos e jurídicos. Seu corpo está sendo velado em Caracas.

jt/aic/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG