Morre mulher agredida por jovem em metrô de Roma

Romena teria sido morta por homem de 20 anos após discussão sobre fila para comprar bilhete do metrô

EFE |

A romena Maricica Hahaianu, de 32 anos, que caiu no chão e fraturou o crânio após ser agredida por um jovem de 20 anos em uma estação do metrô de Roma, em meio à indiferença dos outros passageiros, morreu em um hospital da capital italiana. A morte, segundo fontes hospitalares, ocorreu na noite de sexta-feira para sábado, uma semana depois que a mulher, enfermeira que vivia em Roma, foi atingida pelo romano Alessio Burtone, com antecedentes criminais por atitudes violentas, com quem tinha mantido forte discussão na bilheteria da estação de Anagnina por supostamente não ter respeitado a fila para comprar um bilhete.

O caso ficou conhecido em todo o mundo pela exibição, pela televisão e internet, do vídeo gravado na estação, mostrando como a mulher discute com o jovem e é derrubada por ele, ficando caída no chão, enquanto várias pessoas passam por ela sem oferecer ajuda.

O prefeito de Roma, Gianni Alemanno, disse que sente vergonha perante a indiferença das pessoas que aparecem na gravação, e disse que pretende denunciar os que não intervieram, além de ser a favor da imediata prisão do agressor.

Após momentos de indiferença, passageiros e funcionários do Metrô atenderam a mulher e detiveram o jovem. Maricica foi levada a um hospital de Roma, onde chegou a melhorar, mas nas últimas horas seu estado se agravou até a morte.

A procuradoria de Roma solicitou a imediata prisão do agressor, considerado um "bom menino" por seus vizinhos, e não descarta que seja acusado de crime preterintencional (ou seja: na prática, acabou sendo mais grave que a intenção do agressor).

    Leia tudo sobre: metroromenaitália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG