Morre Michael DeBakey, considerado pai da cirurgia cardiovascular moderna

Washington, 12 jul (EFE).- O médico Michael DeBakey, considerado o pai da cirurgia cardiovascular moderna, morreu aos 99 anos de idade por causas naturais, informou hoje o Hospital Metodista de Houston (Texas), onde trabalhou durante grande parte de sua vida.

EFE |

DeBakey morreu na noite de sexta-feira no hospital, segundo um comunicado emitido hoje pelo centro médico.

O cirurgião inventou durante seus anos universitários um aparelho que facilitou a realização de cirurgias de coração aberto.

Sua inovação mais conhecida foi o agora comum bypass coronário, que realizou pela primeira vez no ano 1964, utilizando veias das pernas para realizar uma ponte entre as áreas obstruídas ou danificadas entre a aorta e as artérias coronárias.

Também foi pioneiro das pesquisas para desenvolver corações artificiais e sistemas de bombeamento para auxiliar pacientes depois dos transplantes coronários. Ajudou a criar mais de 70 instrumentos cirúrgicos.

Em sua longa lista de pacientes figuram estão nomes conhecidos como o da atriz Marlene Dietrich, o ator Jerry Lewis, o magnata Aristóteles Onassis e os ex-presidentes americanos, John F. Kennedy, Lyndon Johnson e Richard Nixon.

O cirurgião manteve uma vida profissional ativa até seus 90 anos.

O médico realizou mais de 60 mil cirurgias durante seus 70 anos de carreira.

"Ele melhorou a condição humana e deixa um legado para as gerações vindouras", disse hoje Ron Girotto, presidente do Hospital Metodista de Houston.

Sua primeira esposa, Diana Cooper DeBakey, morreu de um ataque cardíaco em 1972. O médico deixa sua segunda mulher, Katrin Fehlhaber, e a filha que teve com ela, além de dois dos quatro filhos de seu primeiro casamento. EFE tb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG