Morre López Trujillo, um dos cardeais mais conservadores no Vaticano

O cardeal colombiano Alfonso López Trujillo, de 72 anos, presidente do Pontifício Conselho para a Família, morreu neste sábado em Roma de uma infecção pulmonar, informou a clínica romana Pío XI.

AFP |

López Trujillo, um dos cardeais mais influentes da Igreja Católica, foi internado no início de abril com uma infecção respiratória, ao que parece contraída durante uma viagem à África.

Considerado um dos mais conservadores do Colégio Cardinalício, López Trujillo foi designado cardeal há 25 anos, pelo então Papa João Paulo II, e desde 1990 presidia o Conselho Pontifício para a Família.

O cardeal colombiano, que ficou vários dias em coma e recobrou a consciência em alguns momentos, morreu cercado por alguns familiares que vieram da Colômbia.

Conhecido por suas críticas aos setores mais progressistas da Igreja latino-americana e por seu papel de guardião da moral, López Trujillo foi um dos "grandes eleitores" do Papa Bento XVI.

López Trujillo defendeu com firmeza no Conselho Pontifício para a Família a condenação do aborto, da homossexualidad, do feminismo e do uso de preservativos.

Consagrado bispo em 1971, López Trujillo se tornou no ano seguinte secretário da Conferência Episcopal Latino-Americana (Celam), que logo presidiria.

Da Celam, promoveu uma revisão do documento de Medellín, e em particular da opção preferencial pelos pobres.

O cardeal colombiano foi um dos ferrenhos perseguidores, ao lado do então cardeal alemão Joseph Ratzinger, atualmente Papa Bento XVI, da Teologia da Libertação pregada pelo brasileiro Leonardo Boff, o salvadorenho Jon Sonbrino e o peruano Gustavo Gutiérrez.

Ao lado de Ratzinger e com João Paulo II, López Trujillo foi nomeado cardeal com apenas 47 anos, para se tornar um dos prelados da América Latina de maior projeção no Vaticano.

kv/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG