Morre líder da entidade islâmica egípcia Al Azhar

Por Dina Zayed e Yasmine Saleh CAIRO (Reuters) - O xeique Mohamed Sayed Tantawi, diretor da entidade egípcia Al Azhar, uma das mais prestigiosas instituições de ensino do mundo islâmico, morreu na quarta-feira aos 81 anos, vítima de ataque cardíaco, na Arábia Saudita.

Reuters |

Mohamed Wasel, adjunto de Tantawi, assumirá interinamente o comando da instituição sunita até que o presidente do Egito, Hosni Mubarak, nomeie um novo diretor. Wasel já dirige o comitê da Al Azhar para o diálogo interreligioso.

A Al Azhar mantém escolas, universidades e outras instituições educacionais em todo o Egito, e envia acadêmicos para lecionarem em países de todo o mundo islâmico. A maior parte do seu orçamento vem do governo.

Ao ser nomeado, em 1996, Tantawi era considerado relativamente liberal em questões como direitos femininos, mas acabou sendo criticado por alguns por seguir a linha oficial do governo.

Como dirigente da Al Azhar, ele se opôs à circuncisão feminina e ao uso do "niqab" (véu que cobre todo o rosto da mulher). Em 2003, ele disse que a França, sendo um país não-muçulmano, tinha o direito de legislar contra o uso de véus por meninas muçulmanas em escolas públicas, mas afirmou que cobrir a cabeça era um dever das mulheres islâmicas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG