Teerã, 21 mar (EFE).- Khadijeh Saqafi, mulher do fundador da República Islâmica do Irã, aiatolá Ruhollah Khomeini, e conhecida como a mãe da Revolução, morreu aos 93 anos, num hospital de Teerã, informou hoje a família.

"Após uma longa vida de resignação e perseverança, e meses de doença, a querida mulher do imame Khomeini morreu", informou em nota o neto de Saqafi, Hassan Khomeini.

A "mãe da Revolução" iraniana tinha sido internada dias atrás num hospital de Teerã com graves problemas no coração e insuficiência respiratória.

Saqafi se casou com o aiatolá Khomeini em 1931, quando tinha 15 anos. A casal teve sete filhos, dos quais dois morreram quando ainda eram crianças.

O mais velho de todos, Mustafa, foi assassinado em 1977, quando estava exilado em Najaf (Iraque) com o pai, num crime que a família sempre atribuiu ao serviço secreto do último xá de Pérsia, Mohamad Reza Pahlevi.

Saqafi sempre acompanhou e esteve ao lado do marido, mesmo quando o aiatolá intensificou suas críticas ao xá quando estava no exílio em Paris. EFE jm/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.