Um dos dois gurus sikhs agredidos neste domingo em um confronto dentro de um templo em Viena morreu no hospital, informou nesta segunda-feira um porta-voz da polícia austríaca.

No final da manhã de domingo, uma briga entre frequentadores do templo sikh - envolvendo armas de fogo e facas - tinha deixado cerca de 30 feridos, incluindo nove em estado grave.

O confronto foi gerado pela chegada ao templo de dois gurus do movimento Shri Guru Ravidas Sabha, procedentes da Índia, incluindo Sant Rama Nand, 56 anos, a vítima fatal.

O estado de saúde do segundo guru, Sant Niranjan Dass, de 66 anos, foi qualificado de estável pelos médicos.

O incidente ocorreu durante o sermão dos gurus, quando seis homens sacaram uma pistola e facas e atacaram. A polícia prendeu os agressores.

A disputa religiosa em meio à comunidade é antiga, de acordo com uma testemunha, Khasuf Kalder, consultada pela agência austríaca APA, que revelou que o templo onde ocorreram os incidentes está em conflito com outros templos de Viena.

A comunidade sikh, na qual os homens usam tradicionalmente um turbante e um punhal na cintura, conta com cerca de 10.000 membros na Áustria e com 25 milhões no mundo, a maioria residentes no norte da Índia.

Os siks denunciaram no ano passado "a falta de liberdade religiosa" na Áustria.

Em plena campanha para as eleições européias de 7 de junho, o partido austríaco de extrema direita FPÖ aproveitou o incidente no templo para denunciar a política de imigração do Partido Social Democrata, no poder graças ao apoio dos democratas cristãos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.