Morre equatoriano atacado por homófobicos em Nova York

Washington, 14 dez (EFE).- José Osvaldo Sucuzhañay, um equatoriano de 31 anos atacado há uma semana em Nova York com uma garrafa e um taco de beisebol, morreu sexta-feira no hospital, informou hoje sua família à imprensa.

EFE |

O imigrante morreu no Hospital Elmshurst após vários dias em coma, enquanto sua mãe estava a caminho de Nova York para lhe dar o último adeus.

Sucuzhañay foi agredido quando voltava de um bar para casa de braços dados com seu irmão, por três homens que desceram de um automóvel xingando latinos e homossexuais.

Os parentes e amigos de Sucuzhañay planejam realizar hoje uma vigília no local do crime.

Ele sofreu uma fratura craniana e edema cerebral ao ser agredido.

As feridas de seu irmão Romel foram menores. O hospital não respondeu à um telefonema da Agência Efe para fornecer mais detalhes a respeito.

A Polícia ofereceu uma recompensa de US$ 22 mil para quem fornecer informação que leve à detenção dos culpados.

Christine Quinn, presidente do conselho municipal de Nova York, afirmou em comunicado que a agressão foi "uma amostra covarde de ódio contra dois homens inocentes" e pediu a colaboração dos cidadãos para resolver o crime.

O ataque contra os irmãos Sucuzhañay aconteceu pouco depois de outro equatoriano, Marcelo Luzeiro morrer com uma facada em Long Island, nas imediações de Nova York.

A procuradoria sustenta que sete adolescentes brancos saíram para atacar a um latino e se irritaram com Luzeiro. EFE cma/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG