Morre em Roma cardeal colombiano Alfonso López Trujillo

O cardeal colombiano Alfonso López Trujillo, de 72 anos, presidente do Pontifício Conselho para a Família, morreu neste sábado em Roma de uma infecção pulmonar, informou a clínica romana Pío XI.

AFP |

López Trujillo, um dos cardeais mais influentes da Igreja Católica, foi internado no início de abril com uma infecção respiratória, ao que parece contraída durante uma viagem à África.

Considerado um dos mais conservadores do Colégio Cardinalício, López Trujillo foi designado cardeal há 25 anos, pelo então Papa João Paulo II, e desde 1990 presidia o Conselho Pontifício para a Família.

O cardeal colombiano, que ficou vários dias em coma e recobrou a consciência em alguns momentos, morreu cercado por alguns familiares que vieram da Colômbia.

Conhecido por suas críticas aos setores mais progressistas da Igreja latino-americana e por seu papel de guardião da moral, López Trujillo foi um dos "grandes eleitores" do Papa Bento XVI.

López Trujillo defendeu com firmeza no Conselho Pontifício para a Família a condenação do aborto, da homossexualidad, do feminismo e do uso de preservativos.

Consagrado bispo em 1971, López Trujillo se tornou no ano seguinte secretário da Conferência Episcopal Latino-Americana (Celam), que logo presidiria.

Da Celam, promoveu uma revisão do documento de Medellín, e em particular da opção preferencial pelos pobres.

O cardeal colombiano foi um dos ferrenhos perseguidores, ao lado do então cardeal alemão Joseph Ratzinger, atualmente Papa Bento XVI, da Teologia da Libertação pregada pelo brasileiro Leonardo Boff, o salvadorenho Jon Sonbrino e o peruano Gustavo Gutiérrez.

Ao lado de Ratzinger e com João Paulo II, López Trujillo foi nomeado cardeal com apenas 47 anos, para se tornar um dos prelados da América Latina de maior projeção no Vaticano.

Leia mais sobre Alfonso López Trujillo



    Leia tudo sobre: igreja católicapapa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG