Morre em Los Angeles, aos 115 anos, a mulher mais velha do mundo

Los Angeles (EUA), 11 set (EFE).- Gertrude Baines, a mulher mais velha do mundo, morreu hoje em Los Angeles após ter vivido todo o século XX e celebrado seu 115º aniversário com uma felicitação do presidente Barack Obama, informou hoje a imprensa local.

EFE |

Nascida em 1894 em Shellman (Geórgia, EUA), Baines manteve o recorde mundial de longevidade feminina durante oito meses, desde a morte em janeiro passado da portuguesa Maria de Jesus, um ano mais velha que ela.

Agora, sua substituta passa a ser a japonesa Kama Chinen, que após a morte de Gertrude é, com 114 anos, a mulher mais velha do mundo, segundo dados do Grupo de Pesquisa Geriátrica do Centro Médico da Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

Charles Witt, o médico de Gertrude, disse que um ataque do coração foi a causa mais provável da morte da anciã, embora ainda não tenha obtido os resultados da autópsia.

Em seu último aniversário, no dia 6 de abril, Gertrude, que era afro-americana, recebeu uma carta do presidente Barack Obama, em quem votou nas eleições do ano passado.

Em janeiro, quando os repórteres se amontoaram em sua porta para perguntar-lhe qual era a chave de sua longevidade, Gertrude relatou a história de sua vida, desde que nasceu em uma família de antigos escravos até seus últimos anos em um lar para idosos em Los Angeles.

"Só Deus sabe porque vivi tanto. Perguntem a ele. Cuidei-me bem, como ele queria", disse à rede "CNN".

Gertrude viveu a maior parte de sua vida em Ohio, na universidade estatal até que se divorciou e se mudou para Los Angeles, segundo a "CNN". EFE llb/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG