Morre em Belgrado anticomunista que tentou matar ex-presidente iugoslavo

BELGRADO ¿ O anticomunista sérvio Nikola Kavaja, que tentou em quatro ocasiões matar o presidente da antiga Iugoslávia Josip Broz Tito, morreu na última segunda à noite, aos 76 anos, em seu apartamento em Belgrado, informou hoje a imprensa local.

EFE |

Na antiga Iugoslávia, Kavaja foi considerado o "inimigo número um do Estado".

Em uma ocasião, em 1979, Kavaja seqüestrou um Boeing 727 no aeroporto de Chicago, nos Estados Unidos, e afirmou depois que seu plano era jogá-lo contra a emblemática Torre Usce, o edifício de Belgrado que abrigava a sede do Comitê Central da Liga dos Comunistas Iugoslavos.

No entanto, Kavaja libertou os passageiros, entregou-se na Irlanda e foi extraditado para os Estados Unidos, onde foi condenado e passou 17 anos na prisão, entre 1979 e 1997. Após ser libertado, o terrorista voltou para a Sérvia.

Sua vida inspirou um documentário e um livro, cujo autor é um dos antigos chefes da contra-espionagem iugoslava.

Seus amigos diziam que ele era um "patriota, grande lutador contra a causa sérvia e anticomunista". O próprio Kavaja revelou algumas vezes que a CIA financiou seus quatro atentados frustrados contra Tito.

Kavaja foi cadete da academia aérea militar da Iugoslávia comunista, mas se tornou um grande inimigo de Tito quando vários de seus parentes foram presos, em 1948, acusados de defenderem posturas pró-stalinistas.

    Leia tudo sobre: sérvia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG